O Arnesto nos convidou

Lá no fundo, o centro da cidade com destaque para o prédio do Banespa.

Em primeiro plano, as casinhas operárias e os galpões e fábricas do Brás, tão importantes na história e na identidade da cidade. Em janeiro de 2011 me chamou a atenção um artigo da historiadora Cristina Meneguell, na Folha de S.Paulo, sobre a destruição destas construções, “uma das faces mais evidentes de um processo paulatino de destruição da memória industrial nas cidades brasileiras”. Enquanto em outros países este patrimônio é preservado e adaptado a novos usos (como por exemplo em Poblenou, antigo bairro industrial de Barcelona), por aqui ele é demolido por uma especulação imobiliária “de fraca imaginação arquitetônica”.

(Foto de German Lorca, reproduzida de skyscrapercity.com)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: