Parque linear

A ilustração à direita é recente. Ela saiu há pouco mais de um mês na revista National Geographic Brasil, em uma reportagem sobre um projeto ambicioso da arquiteta Pérola Brocaneli, da FAU-USP, para São Paulo: transformar as marginais Tietê e Pinheiros em áreas verdes. O projeto exigiria desapropriar e demolir uma grande quantidade de imóveis, e de preferência também afastar as vias expressas que hoje ladeiam o canal dos dois rios. Com isso, seria possível criar um enorme parque linear que, além de servir como área de lazer, devolveria a permeabilidade natural do solo e resolveria os problemas de escoamento das chuvas, evitando enchentes.

Já a ilustração à esquerda não é nada recente. Ela é de um projeto apresentado à prefeitura em 1924 pelo engenheiro Saturnino de Brito (o mesmo que projetou os canais de Santos). O plano consistia em canalizar o Tietê e implantar um parque ao longo do canal. A parte de cima da imagem mostra o rio com seu curso original, cheio de curvas ao longo da várzea inundável. A parte de baixo mostra como ficaria o rio retificado, e a área em amarelo corresponde ao parque linear que seria formado (com direito até a uma ilha artificial na altura da atual ponte das Bandeiras). Com isso, pretendia-se tornar o rio navegável nesse trecho (de Osasco até a Penha), além de evitar a inundação das áreas de várzea.

Muita gente poderá achar os dois projetos incrivelmente parecidos, apesar dos 87 anos que os separam. E de fato eles se parecem em muita coisa. Mas existe entre eles uma enorme diferença, que torna qualquer semelhança irrelevante: o projeto de 1924 era perfeitamente exequível, ao passo que outro só pode ser visto como um exercício de imaginação. A não ser em um futuro ainda utópico, vamos ter mesmo é que continuar convivendo com o projeto de rio que a cidade acabou escolhendo, que é esse da imagem aí embaixo.

(Imagens reproduzidas de viajeaqui.abril.com.br, de usp.br/fau e da Folha da Manhã de 7 de fevereiro de 1954).

3 comentários
  1. Pedro wolthers disse:

    Penso que hoje a primeira coisa a se fazer seria limpa – lo e depois seguir o modelo adotado na cidade de Seul na Coréia do Sul.

  2. Ficamos no “se” … mas seria perfeito “se” tivessem escutado Saturnino de Brito lá em 24 hein ?
    Ele que ajudou e muito as cidades do Rio e Santos com o saneamento básico … infelizmente estamos colhendo decisões erradas, plantadas lá atrás !

  3. João Resende disse:

    As idéias do Saturnino de Brito para a cidade de São Paulo, infelizmente para todos os paulistanos até hoje, foram deixadas de lado em função das concepções urbanísticas do Francisco Prestes Maia, que planejou e conseguiu iniciar o processo de ocupação das áreas livres e fundos de vale da cidade por avenidas e obras viárias dedicadas aos automóveis. Esse assunto é muito bem apresentado no documentário “Entre Rios”, produzido pelo coletivo Santa Madeira (http://youtu.be/Fwh-cZfWNIc)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: