São Paulo para crianças

Eu nunca tinha ouvido falar de A.S. Forrest, autor do texto e das ilustrações abaixo. Pesquisando na internet, fiquei sabendo que as iniciais A.S. são de Archibald Stevenson e que ele foi um ilustrador de livros infanto-juvenis que viveu na Inglaterra entre 1869 e 1963. Parece ter sido um personagem discreto, que só ganhou alguma fama porque ilustrou os trabalhos de Henrietta Elizabeth Marshall, esta sim uma autora conhecida de livros para crianças.

Mas apesar de ter feito carreira ilustrando os livros dos outros, na década de 1910 Forrest chegou a escrever uns dois ou três livros próprios. Um deles, publicado em Londres em 1913, chamou-se “A tour through South America” (Um tour pela América do Sul).

O livro é exatamente o que o seu título sugere: um relato de viagem pelo continente, com comentários e anotações sobre cada lugar visitado. E como o que o autor gostava mesmo era de desenhar, a obra é toda ilustrada. São 145 desenhos no total.

Um dos 29 capítulos é dedicado a São Paulo. E não é só no estilo das ilustrações, muito parecido com os dos livros infantis da época, mas também no texto delicado e ingênuo, que dá para reconhecer facilmente o tipo de literatura a que A.S. Forrest estava acostumado. É uma São Paulo descrita para crianças e adolescentes ingleses de 1913.

O texto é delicioso porém longo, então reproduzo aqui apenas alguns trechos:

“The city of Sao Paulo is full of pleasant surprises. Its three principal streets, the Rua Sao Bento, Rua Quinze de Novembro, and Rua Direita, form a triangle in the busiest part of the city, and are narrow, crowded thoroughfares.”

(A cidade de São Paulo é cheia de surpresas agradáveis. Suas três ruas principais, a Rua Sao Bento, a Rua Quinze de Novembro e a Rua Direita, formam um triângulo na parte mais movimentada da cidade e são vias estreitas e lotadas.)

“Many of the shops are fine, and contain a goodly display of wares, but prices are high. Their harvest season is somewhat restricted, owing to the large number of feast days or holidays throughout the year, in addition to the Sundays, upon which the bulk of the shops are closed.”

(Muitas das lojas são elegantes e oferecem um considerável sortimento de produtos, mas os preços são altos. Seu período de funcionamento é um pouco restrito, devido aos muitos dias de festa e feriados ao longo do ano, além dos domingos, quando a maior parte do comércio fica fechada.)

“It is on a Sunday or a festa day that the crowds in the street are most interesting, for then the folk come out in their gala clothes on pleasure and amusement bent. (…) Lottery ticket vendors yell their wares in competition with purveyors of sweets, cakes, and pastries, whose yellow delicacies tempt the flies and children who swarm around. (…) White dresses predominate, but blues, magentas, yellows, pinks, greens, and faded vermilions are freely admixed, varied with yellow and red kerchiefs and purple shawls.”

(Nos domingos e dias festivos a multidão na rua fica mais interesante, pois é quando o povo sai em suas roupas de gala, para prazer e divertimento redobrados. (…) As vozes dos vendedores de loteria competem com as dos que apregoam doces, tortas e bolos, cujas gostosuras amarelas são uma tentação para as moscas e crianças que enxameiam em volta. (…) Os trajes brancos predominam, mas  os de tons azuis, magenta, amarelos, rosas, verdes e avermelhados também se misturam, salpicados por lenços amarelos e vermelhos e por xales roxos.)

“In striking contrast to the narrower streets is the Viaducto Cha, a broad avenue that leads to the new part of the city where everything is on a magnificent scale, with squares and avenues of which any city might well be proud.”

(Contrastando muito com as ruas mais estreitas está o Viaducto Cha, uma larga avenida que leva à parte nova da cidade, onde tudo possui uma escala magnífica, com praças e avenidas das quais qualquer cidade ficaria orgulhosa.)

“Motor ambulances, prison vans, and fire-engines can be brought at the shortest possible notice to any part of the town and district within a mile radium, and the equipment of all the “public assistance” motor vehicles is most efficient and up to date.”

(Ambulâncias a motor, camburões prisionais e carros de bombeiros conseguem alcançar rapidamente qualquer ponto da cidade ou do distrito, dentro do raio de uma milha. O equipamento dos veículos da “assistência pública” é o mais eficiente e atualizado.)

“Outside the town are market gardens and fields with green grass and rich, red soil, firs and pines on all sides, cattle browsing in the meadowland, rose-covered villas and factories springing up amidst the green fields.”

(Nos arredores da cidade estão as hortas e os campos, com um rico solo vermelho cheio de abetos e pinheiros por todos os lados, gado pastando e casas floridas, além das fábricas que brotam em meio ao prado verdejante.)

Tudo isso ilustrado com desenhos dos lugares mais importantes da cidade…

8 comentários
  1. Martin, também não lembrava dele. Mas quando vi as ilustrações Dr. Pardal acendeu a lampadinha e lembrei que este senhor ingles colaborou no nosso Pirralho. Agora não sei o número e nem o ano. Mas tenho certeza que ele passou pelo Pirralho. bj.Paula

  2. Achei o arquivo online do livro … é muito legal, inclusive as descrições de Assunção, muito divertido !

  3. faria disse:

    A.S. Forrest:
    “…onde tudo possui uma escala magnífica, com praças e avenidas das quais qualquer cidade ficaria orgulhosa”

    Aí vieram os carros e mudaram o destino e o desenho da cidade.

    Muito legal o post.

  4. Gabi E. disse:

    Precioso!

  5. Peter disse:

    Martin, ainda não tinha visto esse post. Muito bacana. Especialmente por uma das ilustrações ser justamente da “Prado Mansion House”.

  6. Martin disse:

    E a Paula, que comentou lá em cima, tinha razão. Fui olhar no Pirralho e encontrei várias ilustrações do inglês, todas elas publicadas em 1911. E na edição nº 8 saiu uma notinha sobre ele: “Mr. Forrest, o extraordinario artista inglez, tem visitado diversos pontos pittorescos da cidade, tirando excellentes impressões para os seus dois livros sobre a America do Sul. Na proxima semana, o celebre illustrador e escriptor pretende fazer uma excursão pelo interior do Estado, visitando as principais plantações de café.”

  7. Martin disse:

    E em 27 de setembro de 1911 saiu uma notícia sobre ele no Estadão:
    “Acha-se nesta capital o sr. A. S. Forest, eximio caricaturista inglez, que collabora assiduamente, e com sucesso, em diversos periodicos de Londres. O sr. Forrest, que é um artista de nomeada feita, há de, por certo, ter nesta capital o mesmo acolhimento distincto que os grandes centros lhe têm dispensado. O distincto artista teve a gentileza de visitar-nos hontem pessoalmente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: