São Paulo antiga

Embora produzida no século 20, a obra do artista plástico José Wasth Rodrigues (1891-1957) documenta a São Paulo nos séculos 18 e 19. É que o artista era meio obcecado pela São Paulo antiga.

Seu trabalho mais conhecido (ou pelo menos mais visto, uma vez que está em plena rua) é o painel de azulejos do Largo da Memória, executado em 1919 e hoje em dia meio abandonado e mal conservado.

Mas além do painel, Wasth Rodrigues também retratou a São Paulo colonial em muitas outras obras. Como as aquarelas abaixo, produzidas entre 1950 e 1952. Nelas o artista reconstitui a cidade a partir sobretudo de registros produzidos pelos primeiros fotógrafos, em meados no século 19.

Há quem diga que Wasth Rodrigues é um grande nome das artes plásticas. Eu confesso que não gosto. Acho careta e anacrônico esse passadismo todo. Claro que isso não tira o valor que a obra pode ter como registro documental. Carlos Drummond de Andrade, por sinal, chamou o pintor de “um dos maiores historiadores brasileiros, não pela palavra escrita mas pela imagem”.

As imagens são de um conjunto de cartões postais publicado nos anos 50, reproduzindo as aquarelas do artista. Era um álbum com 25 cartões, editado por uma tal “Editora Marfim”. O meu exemplar só tem 18 cartões, então fico devendo os outros sete, A frase de Carlos Drummond de Andrade saiu no Estadão em 28 de janeiro de 2001, página C-4.

(Quem gostou deste post provavelmente também vai gostar deste outro.)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: