Ronda

Eu acho impossível percorrer este conjunto de fotos dos anos 50 e não lembrar da música “Ronda”, composta nessa mesma época pelo Paulo Vanzolini:

“De noite eu rondo a cidade 
A te procurar sem encontrar 
No meio de olhares espio em todos os bares 
Você não está

A ronda começa na avenida Ipiranga, bem na esquina com a Barão de Itapetininga…

540

…passa pela porta do bar Brahma…

573

…que ainda não se mudou para a esquina da São João.

541

Seguindo pela São João, passa também pelo cine Ritz, ao lado do qual tem mais um bar.

542

Depois vira à direita na Dom José de Barros…

543

…e em cada bar uma olhada pra dentro, que se revela inútil.

544


“Volto pra casa abatida

Desencantada da vida
O sonho alegria me dá
Nele você está…”

Fico devendo o crédito das fotos. Estavam à venda baratinho e eu as comprei, mas não sei quem é o autor. Se alguém souber, agradeço a informação.

2 comentários
  1. Caro Martin Jayo!
    Depois de ficar encantado com esta imperdível publicação paulistana/notívaga, que nos brindou com fotografias supimpas, fiquei propenso a divagar sobremaneira.
    Ainda em estado de encantamento pedi sete pitadas e meia de pó de pirlimpimpim para a boneca Emília e quando abri os olhos estava numa noite paulistana do final dos anos 40, do século findo, mais precisamente no final de uma primavera fria e chuvosa do ano de 1949. Um vento gélido açoita meu rosto, quando desço do bonde na parada próxima da Avenida São João com a Avenida Ipiranga, levanto a gola da minha capa de gabardine, ajeito o chapéu para enfrentar a garoa intermitente e caminho em direção a Rua Major Diogo, para frequentar mais uma vez o Nick Bar, que fica lotado após as encenações da peça “A Mulher do Próximo”, com a novata e promissora atriz Cacilda Becker encabeçando grande elenco. Poderia descer do bonde mais próximo do Teatro Brasileiro de Comédia, mas prefiro fazer um “footing”, nas imediações dos cinemas Marabá e Ipiranga, que ficam com filas intermináveis, para assistirem as películas em cartaz. Neste ínterim vejo fitando-me com olhares lânguidos um casal impecavelmente vestido, que saem da fila e vem em minha direção…

  2. será que a cidade era mais gentil com “cenas de sangue num bar da Avenida São João”? brincadeira rs rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: