As árvores da Bernardino

Hoje em dia é até difícil imaginar a avenida Bernardino de Campos, no Paraíso, sem suas frondosas tipuanas separando as duas pistas. Quem passa por ali tem a impressão de que a avenida já veio de fábrica com as árvores, de tão incorporadas que elas estão ao local.

Esta foto mostra que nem sempre foi assim: aqui elas aparecem recém-plantadas, no final dos anos 40. O interessante é que, apesar de sua aparência frágil, as árvores são uma das poucas coisas da foto que sobreviveram até hoje.

Outros que ainda resistem são a Panificadora Viana (embora muito modificada) e o prédio mais alto, à esquerda. Graças a eles, é possível reconhecer o local: estamos na esquina da rua Afonso de Freitas.

A foto é do acervo pessoal de um leitor, o Emilio Lucchi, que a enviou para o blog. Obrigado, Emilio!

Atualização em 31 de dezembro: Outro leitor, o Alexandre A. Reis, passou por lá estes dias e fotografou o local. O ângulo é praticamente o mesmo, embora na foto original o fotógrafo estivesse um pouco mais recuado em relação à esquina com a Afonso de Freitas. Obrigado pela contribuição, Alexandre!

20 comentários
  1. E essa escadaria à esquerda da foto, o que será?

  2. Não sei, Vaz. Mas note que quase todas as casas do lado esquerdo têm esses degraus. Pelo jeito, quando foram construídas, a calçada era mais alta. Talvez isso tenha a ver com algum alargamento da avenida, que nivelou o leito da rua e criou esse desnível com as casas que já existiam do lado esquerdo. Mas é só uma hipótese…

  3. Beatriz Rivadávia disse:

    Martin, vc é um verdadeiro Sherlock Holmes. Eu passava diariamente por aí, a partir de 51 e jamais reconheceria.Fiz o primeiro ano primário no Externato Nuno de Andrade, em 51,um casarão quase vizinho ao edifício, se não vizinho.(acho que havia outra casa entre eles). Depois fui para o Mackenzie e o Externato mudou-se em 53, pelas minhas contas, para a Av. Higienópolis, quase esquina da Angélica, em frente ao Consulado ?Italiano? onde funcionou até uns 10 anos atrás. Aí já não sei precisar, pois morei em SP de 89 a 99 e acho que a demolição foi depois disso.
    Já a Panificadora Viana lembro-me muito bem, mas não sabia que ainda existia.

  4. Martin, acho que a esquina da foto é a da Afonso de Freitas, não da Abílio Soares. Por dois motivos: (1) a casa da foto parece ser a mesma da atual Panificadora Viana, enquanto no mesmo local da Abílio Soares existe um prédio com algumas lojas embaixo; e (2) a Abílio continua do outro lado da Bernardino de Campos, e, na foto, a rua parece terminar na Bernardino. A Afonso de Freitas termina na Bernardino, embora hoje haja a saída da Rua Ramon Penharrubia do outro lado, quase como se fosse uma continuação — mas que não existia na época da foto. Abraço!

  5. Por outro lado, a posição dos prédios à esquerda parece ser mais próxima da Abílio Soares, mesmo, como mostra este link do Google Street View: https://www.google.com.br/maps/@-23.5735311,-46.6424901,3a,75y,308.57h,99.67t/data=!3m6!1e1!3m4!1sUb31N8k5EpLTEgdMvAE0YA!2e0!7i13312!8i6656?hl=en

    Ainda aposto na Afonso de Freitas, mas pode ser que seja a Abílio Soares, mesmo. Nesse caso, a continuação do outro lado poderia ter sido aberta posteriormente (pensei em algo ligado à construção do Viaduto Paraíso, mas a continuação já existia ao menos em 1958, conforme o Geoportal) e a casinha (no caso antiga) da Viana teria sido demolida, para dar lugar ao anódino prédio atual.

  6. outro predio que ainda existe é o que esta ao fundo,fica na praça Osvaldo Cruz,esta pintado de amarelo mostarda atualmente,também é possivel notar as palmeiras que existiam na praça,uma de cada lado,outra coisa é a ausência de trilhos e fiação para os bondes que por relatos na postagem “A Domestica” subiam a Brigadeiro e viravam na Paulista seguindo em direção a Domingos de Morais

  7. a cor do predio é bege e não amarelo mostarda

  8. Meus caros, eu tenho certeza que é a esquina da Abílio Soares. Um dos motivos é o prédio da esquerda, que não apareceria nesse lugar da foto se a esquina fosse outra. O outro é uma matéria na Folha da Manhã de 17 de janeiro de 1951, seção Economia e Finanças, página 3. Ali aparece uma lista de estabelecimentos que tinham sido autuados por uma tal Comissão Estadual de Preços. Entre eles a Panificadora Viana, à “rua Bernardino de Campos 246”. Ou seja, a esquina na Abílio! 🙂

  9. Pode ser, mas ainda acho estranho o prédio atual da padaria ser muito parecido com o prédio antigo e, especialmente, a ausência da continuação da Abílio Soares no lado direito.

    (De qualquer maneira, eu tinha interpretado o seu texto como sendo o prédio da esquina (o da padaria) que ainda estaria de pé hoje. Não poderia ser, é claro.)

  10. Uma das coisas mais legais deste blog é que os leitores nunca me deixam errar.

    Depois dos comentários do Alexandre, fiquei com a pulga atrás da orelha. Como as imagens do Google não estavam me levando a nenhuma conclusão, resolvi ir até o local para achar o ponto exato em que a foto foi tirada. E o Alexandre tinha razão: o fotógrafo está na esquina da Bernardino com a Afonso de Freitas. O ângulo que se tem de lá, parado no meio da ciclovia, é o mesmo da foto. A padaria Viana nunca saiu de lá, o que parece ter mudado é a numeração da rua.

    Já mexi no texto, que agora ficou correto graças ao Alexandre. Abraços!

  11. Podia ter-me chamado para ir — fica a um quilômetro daqui… hehehehehehe

    A numeração mudou nessa época, mas é sempre difícil saber quando ocorreu em cada trecho (isso quando ocorreu), como era antes etc. Ainda mais com uma coincidência como o fato de o número 246 hoje ficar mais ou menos na esquina da Abílio Soares.

    Para completar, você deveria ter tirado uma foto do mesmo ângulo e postado aqui! 😛

  12. Beatriz Rivadávia disse:

    Quando eu crescer, vou querer fazer pesquisas como o Martin…..Acho incrível!!! (Folha da Manhã de 17 de janeiro de 1951!!!!!!) Wow!!! rs

  13. Martin,na foto é possivel notar na pista em direção a paulista(direita) um automovel virando a direita,só haveriam 2 opçoes,ou Abilio Soares ou a rua do Paraiso caso a foto tenha sido feita da Afonso de Freitas,mas o que esta me deixando com duvida é o “tamanho” do predio que esta “bem no fundo” na pista da esquerda(sentido Domingos de Morais),este predio se encontra na praça Osvaldo Cruz e olhando pelo street view da Afonso de Freitas ele fica muito longinquo,já da Abilio Soares fica mais proporcional a fotografia,mas pode ser que in loco a impressão seja diferente

    https://www.google.com.br/maps/@-23.5735311,-46.6424901,3a,37.5y,322.7h,88.22t/data=!3m6!1e1!3m4!1sUb31N8k5EpLTEgdMvAE0YA!2e0!7i13312!8i6656!6m1!1e1

  14. Saviano,é vero,só o telhado sumiu,a fachada/platibanda continua a mesma,e o o imovel ao lado em lilás esta da mesma forma também,é a Afonso de Freitas sem duvida

  15. Martin, que tal publicar uma foto atual para fazermos imediatamente a comparação?

  16. Pois é, marquei bobeira. Fui até lá e não levei celular nem câmera… Foi mal…rs

  17. Pois é, marquei bobeira. Fui até lá e não levei celular nem câmera… Foi mal…rs

  18. Alexandre A. Reis disse:

    Fantástica essa foto! Não imaginava que a Viana fosse tão antiga! Até poucos anos atrás, no quarteirão entre as ruas Tomás Carvalhal e Afonso de Freitas, ainda havia algumas construções remanescentes dessa época, com os degraus. Ficavam ao lado da igreja e abrigavam algumas lojas. Mas foram todas demolidas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: