O primeiro e o primeiríssimo

Um ano atrás, neste outro post, eu escrevi sobre o supermercado Sirva-se, na rua da Consolação, que eu acreditava ter sido o primeiro supermercado de São Paulo. Por sorte, estes dias o Luciano Cartegni leu o texto e me mandou uma nova informação.

O anúncio abaixo, das caixas registradoras National, que o Luciano encontrou na revista Seleções de maio de 1953, mostra que uns seis meses antes da inauguração do Sirva-se já havia outro supermercado “na Paulicéa”. Era o Super Mercados Americanos Ltda, na rua 13 de Maio, 1936. Pelo endereço, ele ficava exatamente em frente à Sears, atual Shopping Paulista. E o anúncio mostra até a foto do dono: um certo senhor Richard S. Roberts, que pelo jeito gostava de usar gravata borboleta e “cuja idéia de montar, em São Paulo, o primeiro Super Mercado com Auto-Serviço, está lhe proporcionando ótimos resultados”…

443

Animado pela descoberta do Luciano, eu fiz uma pesquisa e descobri mais duas referências. A primeira é uma notícia na Folha da Manhã de 27 de março de 1953, segundo a qual  “realizou-se no dia 24, na rua 13 de Maio, nesta capital, próximo à Sears, a inauguração do primeiro supermercado estabelecido no Brasil”.

A segunda é um artigo acadêmico de um professor da Michigan State University, publicado em 1959 no Journal of Marketing. Embora não dê nome aos bois, o artigo menciona que o primeiro supermercado do Brasil foi aberto em 1953 por um empresário americano. Não é preciso ser muito esperto para desconfiar que esse empresário seja o mesmo Richard Roberts, que vimos todo simpático e elegante no anúncio da Seleções.

Diante de tanta evidência, eu retifico o que escrevi há um ano. O “Supermercados Americanos” do Paraíso, e não o “Sirva-se” da Consolação, parece ter sido o primeiro supermercado da cidade.

Se bem que certeza mesmo não dá pra ter, porque antes do primeiro parece ter havido um primeiríssimo. É o que sugere este segundo anúncio da Seleções, também de 1953, e também enviado pelo Luciano. Nele conhecemos o Depósito Popular Ltda, que funcionava na rua Formosa e era de propriedade de um tal sr. Sebastião Gomes, “o comerciante mais conhecido em São Paulo no ramo dos comestíveis”. A loja só não era supermercado no nome: já vinha usando há cinco anos, portanto desde 1948, o “sistema de Auto Serviço” e o “método de Pagar na Saída”.

Pelo jeito, o sr. Gomes se matou de trabalhar, inventou o supermercado e deixou um americano almofadinha levar a fama.

444

6 comentários
  1. Nelson disse:

    O Sirva-se da Al. Gabriel Monteiro da Silva esquina com Rua Remanso está lá até hoje e do mesmo tamanho.

  2. Nelson disse:

    Desculpe é esquina com a Rua Ibsen da Costa Manso!!!

  3. Sim, Nelson! Tanto o Sirva-se da Gabriel Monteiro da Silva como o da Consolação continuam funcionando até hoje, como Pão de Açúcar…

  4. Nelson disse:

    Martin parabéns pelo seu belo trabalho de divulgar a memória de São Paulo!

  5. Fabio Santiago disse:

    Sensacional este blog, pena que dá saudade de uma época que eu não vivi.

  6. Obrigado! Fico feliz que vcs gostem…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: